Por que você não deve parar de adquirir conhecimento?

Com a profunda crise econômica e a consequente crise de emprego que assola o Brasil, é comum vermos por aí debates que dissertam muito além da crise conjuntural do emprego, como também a crise estrutural do labor. Sendo mais direto, mesmo quando esta crise acabar existem certos empregos/profissões que vão continuar com demanda em queda livre. Isto quer dizer que aquele conhecimento que você adquiriu a duras penas na faculdade, um dia pode não ter mais utilidade em um futuro próximo. Que azar, hein?

Calma, não se desespere se o seu emprego estiver em alguma lista, ou se existir um emprego de uma área próxima à sua na marca do pênalti, dando aquele frio na barriga porque a sua vez vai chegar logo. No fim das contas o que interessa mesmo é que todos saibam que um dia todo conhecimento se torna ultrapassado. O mundo evolui, as pessoas evoluem, as demandas e as necessidades do mercado consumidor mudam, é simplesmente assim. Ninguém está salvo, já há sistemas desenvolvidos por startups que executam com mais eficiência algumas rotinas de advogados; há casos até na área de medicina, na qual robôs-cirurgiões estão inovando com técnicas antes improváveis. Mas antes de nos desesperarmos e darmos início a uma cruzada contra a tecnologia, como no filme “Exterminador do Futuro”, saiba que quem adquire conhecimento, não importando a carreira, idade ou como vai aplicá-lo, estará sempre mais preparado para “ligar os pontos” e criar as coisas novas que vão transformar o mundo atual e o futuro. Outra coisa muito valiosa é entender que mesmo que um conhecimento adquirido há tempos se torne obsoleto, o processo de adquiri-lo é sempre muito enriquecedor e sempre terá validade para toda a sua vida, sem contar que às vezes o meio justifica o fim: fortalecimento nas relações pessoais e networking, estruturação de raciocínio, ganho de disciplina e até entretenimento nobre. Então mãos e cabeça à obra!

Vamos falar de ao menos uma lista de “empregos que vão acabar”. O que se vê é o avanço dos robôs, da tecnologia sobre o trabalho humano. Há de se considerar também a destruição de muitas indústrias que estão sendo substituídas pela internet ou novas tecnologias, como os jornais impressos e agências de viagens. Voltando aos robôs, eles trazem outras vantagens também, como não faltar e não tomar cafezinho. Assim, empregos repetitivos e mecânicos vão e já estão sendo substituídos por máquinas. Logo, o que se conclui é que o oposto aparenta ser um lugar mais seguro: quanto mais perto da área da criatividade, da inovação e da imaginação a sua função estiver, mais difícil será para um robô tomar o seu lugar. Segundo o site de carreiras Carreer Cast, profissões como repórter de jornal, fiscal de impostos, carteiro, agente de viagens, comissário de bordo e funcionários de gráficas vão acabar ou diminuir bastante até 2020.

 

Então, por onde devo começar? Primeiramente é importante que a sua busca por conhecimento esteja atrelada a um bom plano de carreira. Você precisa saber aonde quer chegar e não ter medo de sonhar alto. Seja você um funcionário do setor público, um trainee, um empreendedor ou um ator de teatro. Uma coisa é importante dizer: a busca pelo conhecimento não diz respeito apenas a cursos de especialização e pós-graduação em sua área. Uma boa leitura de livros ou artigos de revistas, sites e blogs também pode ser muito enriquecedor. Você não precisa estar sempre realizando algum curso; pelo menos coloque a leitura em sua rotina diária, isto já vai fazer diferença. Fazer parte de grupos de discussões ou rede de networking também vai permitir que você troque experiências com muitos profissionais e aprenda com a vivência de outros. E para todo o conhecimento que se busque vale a pena ressaltar que é importante estar antenado também com aquilo que acontece além de seu universo e da sua área de atuação. Se todos da sua área estão se especializando em um determinado assunto, por exemplo, você só vai fazer diferença se além deste assunto tiver algo novo a agregar, que possivelmente será um conhecimento que a sua indústria/empresa não viu ainda.

 

E se você já decidiu o que quer aprender, saiba que hoje a falta de tempo e dinheiro não são mais problemas para quem vai fazer um curso. Há farta opção de cursos gratuitos de escolas renomadas do Brasil e do mundo via internet. E mesmo que você precise realizar algum investimento há empresas como o site Ponto Educa (www.pontoeduca.com), onde é possível fazer uma poupança de pontos, como em um programa de milhagem, exclusivamente para se pagar educação. O site também permite que se financie qualquer curso do Brasil, via cartão de crédito, com taxas muito mais baixas do que as linhas de crédito tradicionais.

 

Como disse um professor uma vez, a teoria que aprendemos em sala de aula nada mais é do que a transformação de uma prática que pôde ser repetida e estruturada em algo para ser disseminado por toda a humanidade. Ninguém nasce sabendo, portanto, adquirir conhecimento faz parte da nossa jornada para que possamos melhorá-lo e transmiti-lo às futuras gerações. É assim que o mundo evolui e o ato de você aprender também faz parte disso. Pense nisso e não seja egoísta de quebrar esta cadeia!

 

Quer estudar e crescer na carreira? Então faça parte do Ponto Educa e receba subsídios financeiros para educação.

Cadastre-se agora mesmo gratuitamente: www.pontoeduca.com

 

Bons conhecimentos,

Rafael Tobar

Sobre o autor

Rafael Tobar é bacharel em comunicação social pela ESPM e pós-graduado em administração pela FGV-EAESP. É educador financeiro, gestor educacional e CEO do Ponto Educa (www.pontoeduca.com) – o primeiro programa privado de incentivo financeiro à educação na América Latina.

2 respostas para “Por que você não deve parar de adquirir conhecimento?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *